LOADING...
04 set

Facebook perde usuários nos EUA: o que isso significa para as marcas?

Apesar de ainda crescer em todo o mundo, o Facebook chegou ao último trimestre de 2017 com uma queda de 1 milhão de acessos nos Estados Unidos. Este evento na terra natal da rede social não é por acaso e deve ser observado de perto pelas marcas, inclusive no Brasil.

Foi nos Estados Unidos que surgiram as maiores redes sociais, que influenciam o comportamento do público em todo o mundo e hoje não é diferente, então é preciso que as marcas estejam preparadas para que isso comece a acontecer também no Brasil em um futuro próximo.

 

O que está afastando o público do Facebook?

O Facebook não atinge mais com tanta força o público mais jovem e com isso acaba não renovando e expandindo o número de usuários. Enquanto isso, redes sociais como o próprio Instagram, Snapchat e Pinterest, além dos aplicativos de mensagens instantâneas conquistam cada vez mais usuários jovens.

 

Qual será o futuro do Facebook?

Em artigo sobre o aparente declínio do Facebook, o professor de MBA Marketing e Inteligência Digital do IPOG, Jayme Diogo, projetou que a tendência do Facebook é continuar perdendo usuários e cair no ostracismo, como aconteceu com redes como o MySpace e o Orkut, por exemplo. Segundo o acadêmico a matemática é simples: “quem não evolui com o mercado fica para trás”.

Entretanto, o Facebook não pretende cair sem lutar e continua lançando novas funcionalidades para trazer o público jovem de volta e manter os usuários que possui. A integração com o Stories do Instagram e as mudanças na seleção e na forma como os conteúdos são apresentados na timeline são provas disso.

A intenção do Facebook é tornar a experiência do usuário mais interessante, dando prioridades para conteúdos de amigos, ao invés de empresas, e permitindo maior interação com os botões de reação e as enquetes. Também aumentando as exigências sobre os anúncios ao mesmo tempo em que pretende separar conteúdos de marcas dos conteúdos dos usuários, em timelines diferentes.

Todas estas são ações recentes – apresentadas nos últimos 2 anos – ou que estão em desenvolvimento neste momento. Se isso será suficiente para manter a relevância do Facebook? Só o tempo dirá.

 

As marcas não podem depender apenas no Facebook

Estar presente apenas no Facebook e Instagram, anunciando somente nestas plataformas – o que é a prática padrão para grande parte das marcas no Brasil – não é um bom negócio para quem pratica marketing digital.

É preciso acompanhar as mudanças de comportamento do público no ambiente digital e diversificar a presença da marca na internet, buscando os clientes em potencial onde eles estiverem, e isso significa atuar além do Facebook e Instagram.

Redes como o LinkedIn, Twitter, Snapchat, entre outros inúmeros aplicativos, permitem a criação e disponibilização de conteúdos, além de anúncios direcionados. As marcas devem reconhecer todos os canais em que possam se encontrar seus clientes em potencial e posicionar-se nestes canais.

Além disso, é importante ter websites próprios e fazer um trabalho de Inbound Marketing, para poder coordenar todas ações no ambiente virtual com o objetivo de conquistar, não só o interesse, mas também para criar um relacionamento com o público, podendo atingi-los até mesmo via e-mails diretos e personalizados.

A Trama Digital conta com uma equipe especialista em marketing digital, descobrindo quais os melhores canais para atingir seu público-alvo e a melhor estratégia para transformar interessados em clientes.

Posicionar sua marca de forma eficiente e atingir o público que realmente interessa não pode ser uma ação concentrada apenas no Facebook. Conheça nossas soluções e veja como podemos ajudar sua marca com um trabalho de marketing digital completo e coordenado em diferentes frentes. Fale com a Trama Digital!

Leave A Comment